(Andrew Harrer/Bloomberg)

A cada quatro anos, os dois principais partidos políticos dos Estados Unidos realizam convenções para indicar seus respectivos candidatos à presidência. No entanto, a votação nas convenções democrática e republicana para a indicação de um candidato é, normalmente, uma mera formalidade. Na maioria das eleições, os indicados são definidos alguns meses antes.

Isto acontece porque nos meses que antecedem as convenções, estados e territórios norte-americanos realizam eleições primárias, nas quais os eleitores cadastrados votam nos candidatos que gostariam de indicar. Os eleitores republicanos escolhem os concorrentes republicanos e os democratas fazem o mesmo em relação aos candidatos de seu partido. Em alguns lugares, eleitores cadastrados como independentes e que não são filiados a nenhum dos dois partidos podem votar em um democrata ou em um republicano, mas não nos dois.

Nestas eleições primárias, os compromissos dos delegados da convenção estão em jogo. Delegados são pessoas que viajam para os encontros dos partidos como representantes dos votos da indicação formal.

Em New Hampshire, por exemplo, centenas de milhares de pessoas participaram das eleições primárias em fevereiro para escolher quais candidatos o pequeno número de delegados do estado iria apoiar em julho, na convenção nacional republicana em Cleveland, Ohio, e na convenção nacional democrata na Filadélfia.

No decorrer de muitas eleições primárias em todo o país, normalmente, um candidato de cada partido ganha o apoio da maioria dos delegados disponíveis. Nesse momento, a indicação dele é praticamente certa. Mesmo antes de um candidato conquistar a maioria, seus adversários frequentemente abandonam a corrida à medida em que a vitória vai se se tornando menos provável. Isso ajuda a abrir o caminho para o candidato mais forte do partido. Neste ano, as eleições primárias do Partido Democrático parecem seguir o rumo normal.

Alguns meses antes da convenção nacional republicana, em 2012, por exemplo, o republicano Mitt Romney ganhou o título de candidato "provável", pelo fato de ter recebido o apoio dos delegados durante as eleições primárias e de seus concorrentes terem desistido.

O Partido Republicano só indicou Romney formalmente para a presidência quando os delegados votaram na convenção, realizada no fim de agosto daquele ano. Mas até aquele momento tinha ficado claro, por um bom tempo, que seria ele o escolhido.

É possível, no entanto, especialmente entre os candidatos republicanos atuais, que nenhum candidato ganhe o apoio da maioria dos delegados antes da convenção de 2016. É necessário receber o apoio da maioria para ganhar a indicação. Assim, apesar de Donald Trump apresentar uma liderança constante entre os republicanos nas pesquisas nacionais, seus índices de apoio geralmente variam entre 30 e 40 por cento este ano. Este percentual de delegados não seria suficiente para garantir a indicação.

Caso nenhum candidato consiga a maioria dos delegados até junho, quando as eleições primárias finais são realizadas, o Partido Republicano realizaria a chamada de convenção "negociada". Neste caso, delegados de todos os estados e territórios participariam primeiramente de um voto cerimonial, votando de acordo com o resultado das eleições primárias. E, obviamente, não haveria vencedor escolhido pela maioria dos votos.

Neste momento, as coisas podem rapidamente se tornar complicadas e potencialmente dramáticas. A obrigatoriedade do voto varia de acordo com o estado, mas após a rodada eleitoral inicial, muitos delegados não precisam mais honrar seus compromissos assumidos anteriormente. Nesta segunda rodada eleitoral, por exemplo, um delegado que havia prometido apoiar Ben Carson, que abandonou a corrida, poderia votar em Ted Cruz no lugar dele.

O partido realizaria diversas rodadas eleitorais, até que um candidato recebesse a maioria dos votos. Durante estas votações, haveria muitas negociações e caos. Basicamente, em uma convenção negociada, a indicação se restringiria a qual candidato poderia melhor convencer os delegados a abandonarem suas alianças originais e votarem nele, até que um deles obtenha a maioria dos votos.